Xi’an

Xi’an é uma modesta cidade para os padrões chineses – pouco mais de 8 milhões de habitantes, espalhados por cerca de 10 mil m2. E a verdade é que apesar de ser um dos pontos mais turísticos da China, é realmente uma cidade pequena, fácil de ver em dois dias. Definitivamente a visita reduz-se ao centro urbano, delimitado por uma muralha rectangular (é possível alugar bicicletas no topo para facilitar a visita), às duas torres de referência – Bell Tower e Drum Tower – e ao bairro islâmico em que os cheiros se misturam com as cores e de onde é impossível sair com o estômago vazio. Os guerreiros de terracota são, sem dúvida, o ponto alto. Se por um lado nos fazem perceber que a loucura de um homem pode ser o motor para a História ser feita, por outro são um expoente máximo da centro comercialização dos pontos históricos. Edificados para proteger o imperador, os guerreiros desvendam um pouco da magnificência e excentricidade do primeiro imperador da China. Porém, antes de conseguirmos ver as faces dos guerreiros, esculpidas individualmente, temos de atravessar autênticos bairros de souvenirs, restaurantes e demais parafernália. Fora das muralhas não há muito mais que ver. Edifícios residenciais estendem-se por quilómetros, muitos ainda em construção, tornam a paisagem monótona e cinzenta. Fábricas e edifícios abandonados, tapados por enormes painéis publicitários completam a paisagem.