Inner Mongolia

Viagem à Inner Mongolia, com passagem por Hohhot, pelas planícies de Xilamuren e deserto de Kubuqi. Hohhot é cinzenta, em claro desenvolvimento sem regra. O único traço comum são as novas ideologias de construção – caixas altas, rectas, colmeias para pessoas, envolvidas por centros comerciais – para acabar com os vestígios de uma cultura que não se encaixa no grande esquema de união do país. Excepção para pequenos bairros com destino já traçado, podia ser uma qualquer cidade industrial chinesa, indiferenciável, mas com mais bandeiras chinesas por rua. Os templos budistas e o bairro muçulmano ficaram como amostra de um passado difícil de recordar. Depois, como se fosse pouco, toda a envolvente natural desta região compensa todas as atrocidades. As extensas planícies até onde o olhar consegue alcançar- as paisagens são tão pacíficas, isoladas e naturais que nos esquecemos onde estamos – e as porções de deserto, algumas delas já transformadas em parques turísticos na areia. Para balanço, fica uma boa amostra da diversidade deste gigantesco país e de que como o caminho para a união torna esta região exótica e em vias de extinção.